Atenção para a vacinação contra sarampo em pacientes reumáticos

Vacina contra sarampo, requer avaliação do médico reumatologista sobre o padrão de imunossupressão

O Ministério da Saúde alertou a população sobre a necessidade de fortalecer a vacinação contra o sarampo, uma doença viral, infecciosa e grave que é transmitida pela fala, tosse e espirro. Situação endêmica em que a única forma de proteção é por meio da vacina tríplice viral que protege contra sarampo, caxumba e rubéola (SCR).

A vacina tríplice viral, disponível nos postos de saúde é composta por vírus atenuados (enfraquecidos), por isso sua aplicação em pessoas que utilizam medicamentos imunossupressores requer orientação médica individualizada.

A Sociedade Brasileira de Reumatologia, publicou nessa segunda-feira, 16 de julho o Alerta epidemiológico do sarampo, com orientações destinadas aos médicos reumatologistas.

A nota está disponível neste link: https://www.reumatologia.org.br/noticias/sbr-nota-tecnica-alerta-epidemiologico-sarampo-julho-2018/

Segundo o Programa Nacional de Imunização (PNI), a vacina tríplice viral (SCR) é aplicada em duas doses entre os 12 meses de idade e 29 anos e uma dose única para adultos entre 30 a 49 anos.

A vacina contra sarampo, aplicada no Sistema Único de Saúde é contraindicada para pessoas alérgicas à proteína do ovo, existindo nas clínicas particulares a versão da vacina para essa população.

Colaboração: Dra. Gecilmara Salviato Pileggi, reumatologista pediátrica, assistente técnico-cientifica da Unidade de Pesquisa Clinica do UPC HCFMRP-USP. Integrante da Comissão de Doenças endêmicas e infecciosas da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) e coordenadora do consenso de Vacina da SBR.

Fonte: Programa Nacional de Imunização (PNI)

if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/en_US/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));