Artrite Reumatoide e os medicamentos de uso contínuo

Antes de conviver com artrite reumatoide, nosso entendimento sobre uso de medicamentos era algo como, tomar por 7 dias, um tratamento medicamentoso longo, era de no máximo 21 dias, mas hoje, convivendo com a artrite, passamos a usar um mesmo medicamento durante anos e anos. Um dos maiores erros que uma pessoa com AR pode cometer é relacionar o controle da dor, diminuição dos sintomas, com a possibilidade de parar de tomar o medicamento por conta, isso é praticamente um suicídio articular (a morte da nossa qualidade de vida a longo prazo).
Os medicamentos para controle da artrite reumatoide, são em sua maioria imunossupressor/imunomodulares, um tipo de medicamento que atua diretamente no sistema imunológico, o efeito desses medicamentos nunca são imediatos, o organismo leva em média de 2 meses à 6 meses para ter boa resposta à um novo medicamento, é justamente nesse prazo de 6 meses até 1 ano, que as pessoas, quando sentem o efeito do medicamento, erroneamente compreendem que podem viver sem o remédio, neste momento muitos abandonam o tratamento, por sentir-se “curados”.
Quando falamos de antiinflamatórios, mudamos o contexto, pois não é recomendado o uso de antiinflamatórios potentes por longos períodos, por isso, o médico reumatologista, sempre prescreve um antiinflamatório por 7 a 10 dias, às vezes até por períodos menores, pois na artrite reumatoide, os antiiflamatórios são profiláticos, ou seja, servem para auxiliar na diminuição da dor e da inflamação, mas como a artrite reumatoide, é uma doença crônica, autoimune, requer medicamentos que atuem no alvo da inflamação, diretamente no alvo da dor e não apenas aliviando a dor.
Para nós pacientes, quando chegamos no consultório médico cheios de dores e fadiga, queremos sempre sair com uma receita de novos medicamentos, e nem sempre o médico muda a conduta, neste momento, devemos conversar com o médico e entender as razões para esperar o efeito do medicamento atual, mas é claro, depois de 1 ano usando um medicamento que parece não fazer efeito, fica evidente para médico e paciente que está na hora de rever a terapêutica, mas ainda assim, jamais pare de tomar um medicamento sem o consentimento e orientação do seu médico reumatologista, pois por mais chato que seja, os medicamentos na artrite reumatoide são tomados por um longo período e quase sempre o mesmo medicamento.

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

4 Comentários

  1. porisso nao tomo medicamento pra ar. prefiro controlar por meios menos nocivos., partindo do principio que nao tem cura, e que esses medicamentos tem efeitos colaterais horrorosos

  2. Meu nome é Andrea descobri que tinha artrite reumatóide em2012, minha vida mudou totalmente hoje sou outra pessoa, luto pra não entrar em depressão, tive nesse período vários problemas e fiz 7cirurgias, não quero mas tomar remédios pois está muito caro e me foi negado o direito no INSS. Me sinto umilhada

    • Olá, Andrea
      Sinto muito pela situação que está enfrentando.
      A negativa do INSS, você pode utilizar o recurso administrativo de reconsideração e ainda tem a opção de solicitar o auxilio doença através da Justiça Federal Especial. Basta procurar um Fórum Federal Especial mais perto da sua residência, não precisa pagar advogado.

Olá, deixe um comentário!