Artrite: problemas na gengiva podem agravar a doença

Artrite e saúde bucal podem estar muito mais relacionadas do que se imagina. Segundo o periódico Journal of Clinical Rheumatology, uma pesquisa demonstrou que haviam bactérias da gengiva nos exames da artrite reumatoide e da osteoartrite de alguns pacientes. Agora, como essas bactérias podem estar envolvidas no início ou agravamento dessas doenças?

O especialista em periodontia, Caio Roman, doutorando da USP, explica que, quando encontrada em número elevado na cavidade bucal, a bactéria Porphyromonas gingivalis pode ir para a corrente sanguínea, usando como porta de entrada micro úlceras que se formam na gengiva inflamada.

Depois, elas se alojam nas articulações, causando destruição tecidual e aumentando a dor dos pacientes com artrite reumatoide. “Temos observado em nossas pesquisas que, com uma má higiene bucal, os sintomas da artrite como dor e desconforto tornam-se mais evidentes, e após o tratamento periodontal há uma diminuição desse quadro doloroso”, diz.

Bactérias da boca podem entrar na corrente sanguínea pela gengiva inflamada e se alojar nas articulações.
Bactérias da boca podem entrar na corrente sanguínea pela gengiva inflamada e se alojar nas articulações.

Mas, ter uma higiene bucal adequada não ajuda a prevenir a artrite e a osteoartrite, apenas pode diminuir os sintomas dessas doenças. “O tratamento periodontal levará a uma redução no número de bactérias, e, em número reduzido, dificilmente chegarão a órgãos distantes, como as articulações. Isso fará com que pacientes com artrite reumatoide tenham uma menor possibilidade de que bactérias presentes na cavidade bucal interfiram nos sintomas da doença”.

Alerta
Roman enfatiza que sangramentos na gengiva ao escovar ou ao passar o fio dental já é um alerta para que uma consulta com um dentista especialista em periodontia seja marcada o quanto antes. Em casos avançados de artrite reumatoide a movimentação das mãos e dos dedos fica comprometida, até mesmo passar o fio dental torna-se algo impossível, nestes casos um acompanhamento bimestral deve ser realizado.

“O tratamento deve ser individualizado levando em conta o tempo que o paciente tem a artrite reumatoide, capacidade motora de higienizar adequadamente e condição periodontal. A prevenção é a melhor forma de evitar que problemas bucais possam interferir na saúde geral”, diz o periodontista.

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!