Além da dor e da Artrite Reumatoide, a história do impressionista Renoir

O pintor impressionista Pierre-Auguste Renoir (1841 – 1919), conviveu com Artrite Reumatoide e ainda assim superou a dor e a doença deixando suas pinturas como prova de superação.

Os últimos 30 anos de vida de Renoir foram repletos de glória e artrite. Nos períodos de crise procurava alívio de suas dores na hidroterapia. Mesmo restrito a cadeira de rodas, com deformidades articulares cada vez mais graves, procurava se adaptar pedindo que amarrasse seus dedos ao pincel. Mandou construir um cavalete em que podia enrolar as telas, permitindo realizar grandes obras sem elevar os ombros. Um de seus quadros mais famosos, As Banhistas, foi terminado dois dias antes de sua morte, 14 anos depois de ter sido atingido pela enfermidade.

Acredita-se que sua artrite tenha começado quando tinha 50 anos e que tenha se manifestado de forma mais agressiva na década seguinte; durante os últimos anos de sua vida o deixou praticamente inválido.

Renoir1

 “Quando olhamos as pinturas de Renoir, é fácil esquecer que ele carregava um grave problema (…). Pintar foi quase uma necessidade física e, às vezes, uma cura, como se desejasse criar sobre a tela aquelas coisas que era obrigado a perder na vida real por causa de sua limitação”, relatava um artigo publicado há alguns anos no ‘British Medical Journal’.

Renoir2

Sugestão de filme: http://entretenimento.pt.msn.com/cinema/renoir-4

Anúncios

Jornalista, motivada pelo diagnóstico de Artrite Reumatoide aos 26 anos, enquanto atuava como enfermeira, estava acostumada a lidar com a dor, porém, a dor dos outros. De repente a dor passou a ser minha companheira. Troquei o cuidar assistencial pelo cuidar informacional e escrevi o Blog Artrite Reumatoide, para compartilhar a minha dor, aprendi então, que Dor Compartilhada é Dor Diminuída. Hoje sou “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde e uma eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

2 Comentários

  1. Exemplo! Numa época em que não se tinha o diagnóstico da doença Ar. E nem medicamentos que temos hoje. Muitos outros aristas sofreram com doenças reumáticas. No livro A Beleza e a Dor – Artistas Visuais Famosos e Suas Doenças Reumáticas', mostram vários exemplos.

Se você gostou dessa publicação, nos incentive a continuar, deixe seu comentário!