Não penso muito na doença, procuro me manter distraída com boas leituras e bons pensamento

Tudo começou quando, comecei a sentir um peso grande nos braços, principalmente quando ia estender roupa no varal. Depois comecei a sentir rigidez nos joelhos quando subia escadas, mas não dei muita importância. Com o tempo, comecei a sentir dores nas mãos e dedos e decidi procurar um médico.
A princípio ele achou que era artrite mesmo, mas foram necessários alguns exames para confirmar. Tomei corticoides por longo tempo, mas melhorei das dores e relaxei um pouco. Devido a minha profissão, o quadro foi piorando, até que fui diagnosticada com a síndrome do túnel do carpo, me levando a fazer cirurgia na mão direita e 2 anos depois na mão esquerda.
Consegui trabalhar mais algum tempo com muito sofrimento, até que minha filha que mora na Florida, hoje, trouxe-me para fazer alguns exames por aqui. Depois de muitos exames uma especialista suspeitou de Lúpus, descartando a artrite e fiz muitos outros exames até que ficamos com a artrite mesmo, passei a fazer tratamento com prednisona e metrotexato.
A partir daí todos os meses ia ao médico para fazer novos exames para acompanhamento, até que uma especialista em Michigan, disse que eu não tenho AR pois não apresento nenhum tipo de deformação nos dedos das mãos e pés, ao longo desses anos e também pelos resultados dos exames que fiz. Ela foi minuciosa em tudo, retirou meus remédios e me receitou apenas vitamina D5000.
Agora que me mudei para a Florida, estou enfrentando uma crise que nunca tive em todos esses anos. Dores simultâneas em mãos, dedos, pês, joelhos, cotovelos, ombros e coluna, mas não sinto nos quadris. Imobilizo os locais onde dói mais principalmente à noite. Caminho 1 hora todos os dias e faço exercícios, isso me dá um certo alivio. Estou sendo medicada com Ibuprofeno e aguardando o dia da consulta para iniciar novo tratamento.
Não penso muito na doença, procuro me manter distraída com boas leituras, bons pensamentos e limpeza psíquica. Isso me faz sentir bem, e não me sobrecarrega com sofrimentos e com pena de mim mesmo. E a mensagem que deixo aqui para quem tem essa doença.

Sou a Arleide, convivo com artrite reumatoide, moro em Jacksonville/Estados Unidos e sou cabeleireira.

Dor Compartilhada é Dor Diminuída“, conte a sua história e entenda que ao escrever praticamos uma autoterapia e sua história pode ajudar alguém a viver melhor com a doença!

“Conte a sua História”

www.artritereumatoide.blog.br/conte-a-sua-historia/
Doe a sua história!

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!