Medicina Bioeletrônica na Artrite Reumatoide: Como a tecnologia pode ensinar o sistema imune a comportar-se de maneira diferente

Se você sofre de artrite reumatoide, você pode ficar feliz em saber que a investigação sobre o uso de energia elétrica, para tratar esta doença debilitante está definido para começar os testes clínicos ainda este ano nos Estados Unidos.

Por quase 20 anos, os pesquisadores do Instituto Feinstein de Investigação Médica em Manhasset/NY, têm estudado como a eletricidade pode ser emitida automaticamente através do sistema nervoso, diretamente para os órgãos do corpo para o tratamento de doenças inflamatórias, com efeitos colaterais mínimos.

Chamada de medicina bioeletrônica, esta terapia emergente requer a implantação de um dispositivo elétrico do tamanho da ponta do seu dedo mindinho, sob a pele e para o nervo vago, um nervo craniano que vai do tronco cerebral para o abdômen e é comumente usado em tratamentos de estimulação do nervo para distúrbios cerebrais.

O dispositivo foi desenvolvido por SetPoint Medical, uma empresa de tecnologia biomédica com sede em Valencia, Califórnia. Ele é projetado para fornecer impulsos elétricos programados diretamente para o baço, um órgão imunológico chave.

Se os testes forem bem sucedidos, os pacientes podem não precisar tomar pilulas e injeções nunca mais.

Como os nervos comunicam-se com os órgãos

Outros aparelhos de estimulação do nervo têm sido utilizados há anos para tratar doenças como a epilepsia e Parkinson, e esses dispositivos utilizam o nervo vago para enviar sinais diretamente para o cérebro.

Mas o cérebro também utiliza o nervo vago para enviar sinais elétricos para o corpo.

“Há dois ramos do nervo vago, um de cada lado do seu pescoço”, disse Chris Czura, Ph.D. , vice-presidente de assuntos científicos e  investigador no Centro de Bioelectronic Medicina no Instituto Feinstein.

Mas o principal ramo do nervo vago é executado “a partir da base de seu cérebro, através de seu pescoço, através de seu peito, e em seu abdômen”, disse ele.

Ela toca principais órgãos ao longo do caminho para o abdômen. “Por exemplo, ele [o nervo vago] vai para o coração, aos pulmões e de lá começa a ramificar para o baço, aos intestinos, ao fígado, os rins”, disse ele.

Mas quando os sinais do cérebro através do nervo vago param de funcionar adequadamente, seu sistema imunológico age de forma anormal, levando a inflamação crônica.

Entre outras palavras, a inflamação crônica corrói as articulações , levando a artrite reumatoide.

Estes investigadores descobriram que entregar um sinal eléctrico diretamente para o baço, pode ensinar o sistema imune a comportar-se de maneira diferente.

Sem Mais medicamentos 

Neste momento, o tratamento para a artrite reumatoide geralmente envolve medicamentos analgésicos e esteróides. Em casos graves, o paciente pode tomar proteínas geneticamente modificadas ou é submetido a cirurgias. Estes métodos tem o objetivo de  minimizar ou eliminar a inflamação, mas nenhum deles pode curar a doença.

Em muitos casos, as drogas fazem mais mal do que ajudam  para outras áreas do corpo onde elas não são necessárias, de acordo com Czura.

“Nosso objetivo seria acabar com as drogas e fornecer avenidas terapêuticas para os pacientes para que possamos obter melhor retorno dos efeitos colaterais”, disse Czura sobre o tratamento com a terapia bioeletrônica.

E ele está otimista de que os pacientes podem ficar mais perto de serem curados. Ensaios clínicos já começaram na Europa e Czura diz que a SetPoint relatado sucesso notável, embora os dados não foi lançado oficialmente.

Em seu primeiro estudo piloto em humanos em 2012, a SetPoint relatou que dos participantes do estudo oito alcançaram remissão da doença e os outros seis responderam positivamente.

 Em janeiro, o governador Andrew Cuomo prometeu US $ 50 milhões para o Instituto Feinstein para construir um novo centro de pesquisa para a medicina bioeletrônica no Coliseu Nassau, em Long Island.

Czura e seus colegas planejam usar a nova instalação para expandir a sua investigação sobre o tratamento de outras doenças que afetam o corpo, como diabetes, paralisia, e câncer.

Traduzido e adaptado do site: http://www.theepochtimes.com/n3/1959629-can-bioelectronic-therapy-replace-drug-treatment-for-rheumatoid-arthritis/

Social Media

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

×

Social media manager, digital influencer, blogueira, youtuber e redatora, ativista em saúde motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide há 7 anos, patient advocacy, mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.

Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!