Foram 7 meses de tortura sem diagnóstico, 7 médicos diferente e minha família achava que eu estava ficando louca!

Meu nome é Tatiane, aos meus 29 anos acordei sem conseguir caminhar para ir ao banheiro, achei muito estranho pois nunca havia passado por algo parecido, mas amanheci e tinha que trabalhar me alto mediquei, pedi ajuda para trocar de roupa e pentear o cabelo que estava complicado fazer sozinha, devido as dores. Ao longo do dia passou as dores, mais ao entardecer voltou com tudo após as 18 horas parecia que o corpo pedia mais remédio ao entardecer já iniciava as dores, então ao longo da semana comecei a me preocupar pois minha mãe tem artrite há 30 anos, seu corpo é deformado pois, não pode se tratar  não tinha condições e na época não havia tratamento.

Todos em casa acharam que eu estava pirando, que era coisa da minha cabeça, que não seria possível pois eu era muito nova, em fim marquei um reumatologia a, 1  mês de espera e pensei em fim vai acabar meu tormento e vou parar de me auto medicar, pois, não conseguia viver sem o anti-inflamatório tando de dia quanto a noite.

O médico de minha cidade pediu exame de sangue e uma radiografia da coluna cervical, após o resultado levei imediatamente para saber meu diagnostico, pensei que acabaria os meus problemas, mas me enganei apenas começou, médico disse que no exame não havia dado nada isso mesmo nada e que uma curvatura na coluna explicava que eu era muito ansiosa e me passou um ansíolitico chamado Olcadil 2.0 , onde acreditei, pois, só me restava acreditar , comecei a tomar o remédio e me dava um sono onde em festa, lá estava eu dormindo isso mesmo dormindo, todos estranhavam pois era super ativa adorava sair a noite e foi assim ao longo de  um mês e não passou as dores só pioravam e cada dia aparecia em um lugar diferente, até que afetou minhas mãos, meu instrumento de trabalho,

Trabalho digitando, como eu fazia, digitava com uma mão e fazia compressa com a outra e ia revessando, uma hora fria outra quente, compre munhequeira, pois, o ortopedista disse que poderia ser tendinite , bursite entre outras ele passou remédio um analgésico a base morfina e a dor não passava, enfim fiz radiografia e ultra deu negativo para tendinite e bursite, procurei outro reumatologista, em que mostrei todos os exames e ele cuidava da minha mãe atualmente, ele disse isso é artrite soronegativo pensei nossa nunca ouvi falar disso, mas a doença poderia não acusar em exame  sangue, me passou um remédio manipulado com 1 grama de cortisona entre outros e pediu um exame fundo de olho e pediu que voltasse depois de 3 meses, mais uma vez confiei no médico com esperança enfim fiz o remédio e nada as dores passarem nem diminuir e o exame fundo de olho não deu nada, minha família toda comentava que eu estava louca, procurei um neurologista onde manteve o alcadil que me derrubava, mais pelo menos me fazia dormir pois as dores a noite eram insuportáveis, não podia me virar, o corpo queimava e não tinha posição para dormir.

Eu chorava todo dia, por que pensava que realmente tinha artrite e iria ficar igual a minha mãe entrevada, sem poder trabalhar e deformada, no começo da vida me preparando para casar, como iria cuidar de uma casa, onde não tinha força nem para abrir uma garrafa, tudo caia da minha mão, dependia dos outros para colocar uma blusa, não conseguia subir escada. O meu mundo desabou, mais enfim, não desisti fui em todos os reumatologistas da cidade e no ultimo esse faço questão de falar o nome,  Dr. Almir Branco,  minha ultima opção no plano de saúde, pegou todos os meus exames e disse nem sempre reumatismo acusa em exame de sangue, mais a sua taxa de inflamação está alta, me deitou me futucou e perguntou todo meu  histórico, chorei de alegria quando ele falou, sim você tem reumatismo é visível,  foram 7 meses de tortura sem diagnostico 7 médicos diferente e sua família achando que você estava enlouquecendo, enfim ele pediu para parar com os anti-inflamatórios que eu me auto-medicava, pois, não poderia utilizar por tanto tempo, me passou o tratamento que realmente fez efeito, hoje levo uma vida quase normal, rs pelo que passei sem andar, hoje posso fazer tudo, no tratamento ele passou reuquinol, acido fólico e metotrexato que não tem jeito me da reação, enjoou entre outros mais, as dores congelaram, mais ainda busco uma forma do metotrexato não dar tanta reação, pois ele me deixa enjoada com gases, dor de barriga, mais vou tentar ir até o fim pois ele sim é o principal medicamento para o tratamento da artrite e o único que fez a diferença.

Hoje agradeço a Deus pois, tudo tem seu motivo foi um aprendizado e hoje vejo como minha mãe sofreu e não vou desistir, pois se Deus ressuscitou Lazaro, reumatismo é pequeno pra ele. Tenha fé e não desista !!!!!

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

10 Comentários

  1. Priscilla, também sou portadora de artrite reumatoide a dois anos e foi complicado no inicio o uso do Metrotexato e sentia as mesmas coisas que sente hoje, sendo assim a médica indicou fazer o uso do Metrotexato injetável que melhorou 100% todos esses sintomas. Me ensinou a aplicar e hoje eu mesmo me aplico toda a semana e nem doi, converse com seu médico. Boa sorte!

  2. Priscila, fui diagnosticada com AR o médico me receitou reuquinol ,quando perguntei sobre outros medicamentos ele falou não era necessário porque eu tinha uma artrite leve.será q estou no caminho certo.

  3. Olá! Estou a procura dos dados de consultório do Dr.Almir Branco. Ele não atende mais na Rua da Conceição, em Niteroi. Alguém tem o novo endereço e o telefone? Todas as procuras estão com os dados dele desatualizados…

Olá, deixe um comentário!