Os médicos falavam que eram dores de crescimento, mas fui diagnosticada com artrite reumatoide juvenil

Fui diagnosticada com artrite reumatoide juvenil aos 14 anos, no inicio os médicos falavam que eram dores de crescimento, até que foi piorando, inchando e ficando cada vez mais doloroso a ponto de não conseguir caminhar mais sem me apoiar na minha mãe. Realizei mais exames de sangue e o diagnostico foi de  artrite reumatoide juvenil, senti muita tristeza, mas fiz o tratamento certinho e aos 17 anos minhas dores eram menores, até que me acostumei com elas e pude parar de tomar os remédios.

Aos 27 anos tive minha filha e voltaram as dores novamente, não conseguia  levantar minha filha do berço, tinha que chamar alguém para me ajudar a pega-la, dependia da minha família para cuidar da minha pequena. Hoje estou melhor tomo o golimumabe  e outros remédios, sinto muita vontade de correr, pular e brincar com minha filha , mas sei que posso estar presente na infância dela de outras maneiras.Tenho fé em Deus  que um dia tudo vai passar e que vamos lembrar que somos mais que vencedoras em Deus!

Meu nome é Débora, tenho 29 anos, convivo com a artrite reumatoide juvenil há 15 anos. Sou auxiliar administrativa e moro em Jundiaí – SP.

Se você gostou deste depoimento, participe enviando sua história através do formulário online >

“Conte a sua História”

www.artritereumatoide.blog.br/conte-a-sua-historia/
Doe a sua história!

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

Olá, deixe um comentário!