Foi terrível saber que eu tinha reumatismo, mas eu achava que ia passar e voltaria a ser uma pessoa normal

Um belo dia, eu estava ótima, brincando, sorrindo, e logo após tudo isso fui dormir, ignorei uma dorzinha na mão direita e no pé.
No outro dia as dores persistiam tomei um analgésico e continuei a rotina, porém com dores mais fortes no mesmo lugar irradiando para o pescoço. Dores que foram aumentando a cada dia, depois a cada hora e minuto, a ponto de durante vários dias não conseguir levantar da cama porque doía tudo, do alto da cabeça até planta dos pés.

Procurei alguns pronto-atendimentos onde tomava relaxante muscular e voltava para casa, mas continuava mesma coisa. Procurei uma Clinica Geral que me disse que era coisa da minha cabeça quando relatei o que eu sentia, enquanto isso já se passaram 2 meses de peregrinação, onde me mandaram procurar um psicologo. Enfim, ao ver que não tinha ajuda nenhuma, eu mesma procurei uma especialista, e ela me pediu exames, e me disse:” Olha você tem um reumatismo bravo, mas nós vamos amansa-lo.

Haviam vários medicamentos que eu nunca havia ouvido falar. Foi terrível saber que eu tinha reumatismo mas eu achava que ia passar e voltaria a ser uma pessoa normal.
Passaram -se 5 meses e nada de melhorar, ao tomar os remédios era como uma bomba.
Ao ver que não estava adiantando nada, procurei outro, comecei a andar encurvada, a cada dois passos eu parava,tinha dores nos pés, joelhos, pescoço e ombros ou seja em tudo. Minhas pernas, pés e mãos eram muito inchadas.

Ao chegar em uma clinica onde na minha cabeça era o meu ultimo recurso, pois eu já achava ter algo pior como câncer, a doutora olhou e disse:” Mulher isso está muito ruim hein”,  me fez um auto-exame nas articulações e disse: “Vou pedir um exame de sangue só para confirmar, mas você tem artrite reumatoide.”

Meu mundo foi caindo, eu pensei:” Nossa, mais outra coisa meu Deus.” Fui pesquisar o que era essa doença, quando via as fotos, relatos de pessoas que sofriam muito e que não conseguiam um bom resultado entrei em choque e achava que não tinha jeito. Peguei o resultado do exame, fui até a doutora ela abriu e se espantou com o valor do PCR. Enfim comecei a tomar os medicamentos, onde as dores foram melhorando . Após um ano fui para o biológico. Meu figado acumulou gordura devido ao corticoide,fiquei muito inchada e assustada, mas respondendo bem ao tratamento, sem dores intensas, voltando a rotina, mais limitada pois as dores dos pés continuavam.

Hoje voltei a trabalhar, estudo, tenho uma vida quase normal. Saí do biológico, tomo 4ml de um medicamento (pois comecei com corticoide de 40ml). Ainda tenho dores mas hoje passo por cima porque sei que eu consigo, achei sim que ia morrer pois vi que a doença atingia os órgãos.  hoje sou feliz e todos também podem ser, basta seguir a risca o tratamento, tomar os medicamentos na hora certa e ter fé. Tenho um leve desvio de ossos na mão direita mas vivo bem e você conseguirá! Tudo conseguimos com fé!
Obrigada pelo espaço porque ninguém nos compreende, mas tem pessoas que criam um blog tão legal como esse para nosso desabafo. Não desistam de vocês!

Meu nome é Sandra, tenho 36 anos, convivo com o diagnóstico de artrite reumatoide há 4 anos, trabalho como analista de sistemas Junior e moro na cidade de São Bernardo do Campo – SP.

Se você gostou deste depoimento, participe enviando sua história através do formulário online > 

“Conte a sua História” 

 www.artritereumatoide.blog.br/conte-a-sua-historia/
Doe a sua história!

Jornalista
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
×
Jornalista Grupar EncontrAR
Jornalista, motivada pelo diagnóstico de artrite reumatoide aos 26 anos, “Patient Advocacy”, Arthritis Consumer, presidente do Grupo EncontrAR, vice-presidente do Grupar-RP, idealizadora dos Blogueiros da Saúde, eterna mobilizadora social em prol da qualidade de vida das pessoas com doenças crônicas no Brasil.
Anúncios

Comentário

comentários

2 Comentários

Olá, deixe um comentário!